Licenciamento descobre público adulto


Segundo a ABRIN, as licenças adultas devem se equiparar às infantis também no Brasil

O ano de 2017 já começou e, mais uma vez, o licenciamento de produtos se apresenta como um ponto forte para o mercado de papelaria, só que, agora, focado nos adultos. De acordo com a presidente da ABRAL (Associação Brasileira de Licenciamento), Marici Ferreira, o setor deve seguir a tendência mundial vinda dos Estados Unidos, onde o número de marcas infantis e adultas é equilibrado. No momento atual, 70% dos produtos licenciados são voltados para o mercado infantojuvenil, na faixa de 0 a 15 anos, e 30% voltados para os adultos. Neste ano, o setor infantil deve ficar em 50%, assim como o setor adulto, que deve ter aumento no número de marcas oferecidas. “Não haverá queda nas marcas infantis e sim um crescimento das marcas adultas, equalizando as duas seções”, prevê a presidente.
Para 2017, a previsão para o faturamento do varejo com produtos licenciados é de R$ 17,6 bilhões por ano, conforme dados da ABRAL, e também deve haver uma forte tendência de crescimento das marcas adultas, como o mercado geek, que já apresentou um alto índice de vendas no ano passado e deve crescer ainda mais, com personagens de games e seriados, como Mario Bros. e super-heróis.


Atualmente, cerca de 70% do mercado de licenciamento é composto por propriedades ligadas ao entretenimento, 20% de propriedades corporativas e 10% do mercado por propriedades ligadas ao esporte. Há 600 licenças disponíveis no mercado, das quais 75% são estrangeiras. Entre 2011 e 2014, o segmento de licenciamento de produtos obteve um acentuado crescimento, com picos de até 14%.


Segundo a presidente da ABRAL, a dica para as vendas dos produtos nas papelarias é ficar atento aos filmes que serão lançados neste ano. “Sempre há novidades. O sucesso dos personagens vai depender da avaliação e da identificação do consumidor final. O investimento em produtos de filmes é em longo prazo, já que, mesmo antes de lançar nos cinemas, o filme faz sucesso estampando os produtos escolares e depois segue para TVs pagas, Netflix...”, diz Marici Ferreira.

Ao longo de 2017, serão lançados diversos filmes que atingem tanto o público adulto como o infantil, como A Liga da Justiça, filmes da Marvel, como a continuação de Thor, e da Disney, com destaque para o novo Meu Malvado Favorito. A empresa Disney, por exemplo, faz tanto sucesso com o licenciamento de produtos que tem o faturamento maior com os produtos estampados com suas marcas e personagens do que com a bilheteria de suas animações.



Mantendo o sucesso já estabelecido, os desenhos infantis Galinha Pintadinha e Show da Luna devem continuar no topo de produtos licenciados para crianças. A presidente da ABRAL também indica apostar nos filmes com personagens com a família envolvida, pois atrai o carinho do público, e em figuras da internet. “É bom ainda o comerciante acreditar nos produtos brasileiros. Temos que valorizar a produção nacional”, defende Marici Ferreira.

Sobre a compra das indústrias, Marici confia que 2017 será um bom ano para adquirir produtos para 2018 e 2019. “As empresas que acreditam no Brasil compram adiantado. Os produtos deste ano já foram adquiridos, as indústrias já estão vendo a longo prazo e 2018 será um ano ainda melhor para as papelarias do que 2017”, explica. Além disso, o potencial de crescimento no ramo de licenciamento de produtos no país é otimista, segundo a ABRAL. Hoje, o Brasil está mais bem posicionado para o crescimento do negócio do que a China e a Índia, por exemplo. O número potencial de empresas no setor é de 20 mil, e a venda de produtos licenciados cresce de maneira estável com média de 4% ao ano nos últimos 8 anos.




fonte: revistadapapelaria.com.br
←  Anterior Proxima  → Página inicial